A escolha do espaço!

Oi Noivinhas! Voltei! Aqui é a Raquel e agora eu vou contar para vocês sobre a escolha do local do meu casamento. Foi mais fácil do que achei que seria e mais difícil do que eu gostaria. Mas antes de falar aqui, quero alertá-las de que sou uma pessoa um pouco polemica e às vezes de opiniões que podem não agradar a todos, mas juro que aceito e escuto todo mundo, sei que não sou dona da verdade ta?!
Quando fui pedida em casamento, o noivo muito esperto já anunciou logo o ano, 2014, e eu no auge da emoção, nem me toquei que estávamos em 2011 e que pra 2014 faltava uma vida ainda. Mas tudo bem, no dia seguinte, lá estava eu de posse de um calendário analisando a melhor data para casar. Tinha que ser um dia 15, pois é quando comemoramos aniversário de namoro, e como o espertinho já havia escolhido um ano tão longe, eu queria que fosse no inicio do ano. Só que Janeiro está todo mundo viajando, e antes do carnaval não rola porque o ano de fato não começou né?! Então pronto, dia 15/3, caia num sábado e bem no final de semana seguinte ao carnaval. Seguinte ao da ressaca de Carnaval, na primeira semana útil mesmo do ano, PERFEITO!!!
Agora restava definir o local, que pra mim era a prioridade da festa, pois não queria me apaixonar por um local e saber que ele não estava mais disponível para o meu dia, e sendo assim, comecei a visitar os salões de festas 2 anos antes. Fiz uma listinha e a partir dela fui olhando pelos sites e selecionando os espaços que achava que valiam a pena ir visitar. Eu e o noivo queríamos uma casa de festas no plano para facilitar a locomoção tanto dos convidados aqui de Brasília, como dos que viesses de fora, ou daqueles que moram aqui, mas são perdidos mesmo, ou bêbados, rs! Também precisávamos de um espaço que tivesse estrutura para cerimônia e recepção, e acreditem, como será em época de chuva isso fez com que fosse muito difícil encontrar o salão ideal. A maioria dava a opção de improvisar em algum local a cerimônia ou falava pra gente tentar contar com sorte, e ter um “plano B” e caso chovesse improvisar na parte de dentro. Agora vamos combinar o dia do seu casamento que você tanto sonha e quer perfeito, você vai aceitar improvisos? Bom, eu não! E nem contar com a sorte, rezas e orações “Deus não vai mandar chuva no dia do meu casamento”. Brasília tem época de Seca e de Chuva, siga o calendário e programe sua festa conforme manda a estação.
E lá fomos nós em 3 lugares que eu tinha certeza que ia acabar casando em algum deles, no primeiro, o Porto Vitoria, acho lá lindo, tem um Buffet excelente, mas alem de ter que improvisar minha cerimônia em caso de chuva, teria a possibilidade de ter dois casamentos no mesmo dia… Não gostei! O Segundo foi o Unique Palace. Amei de cara. A cerimônia seria numa varanda lá em cima com vista para ponte (lindo, lindo!!), só que após a cerimônia meus convidados teriam que dar a volta no salão para entrar, mas e se tivesse chovendo? Ah não! Não rolou também! E La fomos nós para o Villa Patrícia, local que eu SEMPRE sonhei que casaria lá. Acho lindíssimo, decoração sempre perfeita, mas estava com problemas no alvará e só podia funcionar das 17h as 23h e eu sempre quis uma festa noturna, entendem?! Nossa, saí bem frustrada de lá! Já descrente… foi quando voltando pelo Lago Sul passamos em frente ao Dúnia e eu falei pro Noivo: “Ah! Vamos entrar! Sei que é a cima do nosso orçamento, mas amo os Lustres das fotos que vi, vamos só sonhar?!” E   ele não resistiu ao meu olhar de gatinho do Shrek e lá fomos nós.

Entramos e estava cheio de gente, um monte de noivas e nem hora marcada a gente tinha. Mas a menina na maior boa vontade veio e falou que se esperássemos um pouco ela atendia a gente. O pouco que esperamos foi o suficiente para eu me apaixonar e meu noivo morrer em cálculos para ver como pagaríamos para casar lá. Quando olhei pro teto e vi pessoalmente aqueles lustres e andamos pelo salão e vimos que tinha um salão enorme e lindo à parte só para cerimônia… Nossa, eu me arrepiei toda. Ao que veio o Diego (Gerente lá, muito gente boa), e foi começar a apresentar pra gente o local, vira Diogo (O noivo) e fala: “Nem precisa começar, ta vendo a cara dela? Ela vai casar aqui, não tem jeito, me passa o orçamento por favor…” . E sim, eu vou casar lá! Nem tudo são flores, tive alguns problemas, mas que foram/ estão sendo contornados com todo cuidado pelo Diego. A decoração é exclusiva, mas minha decoradora é apaixonante, a Thais é linda, uma fofa e tem a maior paciência para ouvir as noivinhas.
É isso meninas! Muito cuidado na escolha do lugar, ele tem que preencher todos os requisitos dos seus sonhos e caber no bolso de vocês. Graças a Deus o Dúnia era no preço que podíamos pagar e estamos bem felizes com esse contrato.
Raquel Nascimento

Raquel Nascimento

Raquel nasceu em Recife - PE, mas mora em Brasília desde os 15 anos. Se casou aos 30, em março de 2014, e foi nos preparativos para seu casamento que se apaixonou por esse mundo e decidiu nunca mais sair dele. Assim, nasceu o Felizes a Dois.

Mais posts

A saga pelo vestido

Uma breve apresentação, sou Publicitária, tenho 30 anos e me caso dia 15/3/2014 (MEU DEUS COMO TA PERTO!!). Estou noiva desde 2011, então tive muito tempo para pensar em tudo, principalmente no vestido.
 
 
Quando iniciei minha pesquisa sobre vestidos de noivas, não fazia idéia do que queria pra mim, mas tinha certeza do que não queria,e pasmem, foi o que acabei comprando. É assim mesmo noivinhas, todo mundo dizia isso e eu fingia não ser verdade, mas não é você quem escolhe o vestido é o vestido que te escolhe. E o meu certamente me escolheu, porque quando bati o olho nele, não quis nem provar… Mas isso eu conto um pouco mais pra frente. Outra coisa importante que descobri nessa busca é que temos que impor um limite de preço para o vestido e NUNCA provar um que esteja à cima do seu orçamento. Isso pode causar frustração, tristeza, decepção… Afinal, querer ter algo e não poder pagar por ele, melhor nem provar.
Decide que ia começar a pesquisar vestidos 1 ano e meio antes do casamento, por que se nada desse certo nesses 6 meses, eu mandaria fazer meu vestido, seja lá qual fosse o modelo que queria. Eis que comecei a fuçar o Google, sites de lojas de vestidos e ia salvando os modelos que gostei numa pastinha no computador. Foi quando percebi que os vestidos que eu gostava seguiam uma linha, tinham nomes, e fui atrás e vi que se não todos, 90% do que tava ali naquela pastinha era de uma estilista só. Perfeito! Já sabia de quem era o tipo de vestido que me agradava, agora era só entrar no site gostar de um e tentar achar ele aqui no Brasil. Por que sim, impressionante o dom que eu tenho pra gostar do que é caro..ja  diz meu  noivo, “tenho gosto pra caviar e bolso pra azeitona”, RS!

 
Agora tudo ia bem, todo dia que tinha um tempinho sobrando entrava no site da minha adorada estilista… Eita, nem falei quem era né?! Maggie Sottero, a mulher que os vestidos enchiam meus olhos de água. Pois bem, nessa busca um dia clicando, lá estava ele, lindo branco, prefeito. Do jeitinho que sempre sonhei. Só tinha um pequeno probleminha, era coleção 2013 e as lojas aqui do Brasil não tinham a coleção disponível, alem do que, no site ele custava R$$ 1.000,00 Dólares e a loja aqui de Brasília que tem representação dela, me cobrou 6mil pra trazer o vestido… OI?Hehehe…NEM A PAU NICOLAU!!
 
  Isso era março de 2012, e eu não tinha a menor perspectiva de viagem pra fora do país, afinal to pagando casamento e isso por si só já demanda muito dinheiro. Mas eis que surge uma viagem inesperada pra Miami. Uma amiga que mora lá, ligou nas lojas em outubro pra saber se tinham o vestido, e tinha, mas todas pediram que voltasse a ligar mais perto da viagem, que seria em Março de 2013. Tivemos que adiar a viagem pra Maio e quando ligamos para reservar, nenhuma loja tinha mais o meu amado escolhido vestido, só seu quisesse encomendar e já deixar pago. Só que não rolava de pagar por algo que nunca vesti, não tenho coragem.
 
 
Fiquei arrasada, devastada, quase morri… Mas depois de muito conversar com amigas e noivinhas do grupo, decide desapegar e se nada desse certo, era so mandar fazer um pra mim, né?! Pois bem, cheguei a Miami e fui na 1ª loja, provei um vestido parecido com o modelo que eu gostava, ODIEI!! A caminho do provador a vendedora me mostra um vestido estranho pendurado, eu e minha amiga fizemos cara feia pro vestido, mas a vendedora insistiu e eu a deixei levar pro provador. E como ela já estava com ele nas mãos falei para aproveitar e já vestir logo… Na hora que vesti que virei pro espelho parece o mundo parou por alguns segundos. Eu olhei pra vendedora, ela me olhou e falou que ia chamar minhas amigas e saiu correndo do provador e eu já saí correndo atrás, que nem uma louca pela loja. ERA ELE!! Não tinha mais duvida, havia ficado perfeito, lindo, maravilhoso… E ele era tudo o que eu JAMAIS quis pra mim!! Hahaahahaha! Não provei mais nenhum, nem fui em nenhuma das outras 3 lojas marcadas. Já tinha o vestido do dia mais importante da minha vida, do jeito que eu nunca quis, mas sem duvidas mais perfeito do que eu ousaria sonhar!

 
Agora me resta acabar de perder os pesos que me propus a perder ate o casamento, eram 20kg, faltam 6kg! O Vestido ta guardadinho na casa dos meus pais, onde o noivo não pode ver, e eu não fico encarando ele para não enjoar. Em fevereiro um mês antes ajusto ele!
 
É isso noivinhas. Essa foi minha saga pelo vestido ideal.  Espero que tenham gostado. Obrigada Ní, pela oportunidade de poder compartilhar a escolha/compra do vestido mais importante da minha vida!
Raquel Nascimento

Raquel Nascimento

Raquel nasceu em Recife - PE, mas mora em Brasília desde os 15 anos. Se casou aos 30, em março de 2014, e foi nos preparativos para seu casamento que se apaixonou por esse mundo e decidiu nunca mais sair dele. Assim, nasceu o Felizes a Dois.

Mais posts