Mamãe eu quero!

Bom diaaaaaa!!

O carnaval está chegando e a gente já está no aquecimento pra participar dos blocos de rua, dos bailes nos clubes, pensando nas fantasias e preparando o gogó pra cantar as famosas marchinhas de carnaval: “Ei, você aí! Me dá um dinheiro aí! Me dá um dinheiro aí!”. Tem também a turma que gosta de aproveitar o feriado pra descansar, dormir, fazer programinhas mais light ou assistir aos desfiles das escolas de samba de São Paulo e do Rio. Independente de como você escolher se divertir, essa época do ano é muito gostosa, é um clima festivo, o feriado é super prolongado e dá pra aproveitar muito!

Não importa se vamos para o bloquinho, para o bailinho ou ficar em casa, a lei é se divertir, e devemos ressaltar que a nossa diversão não pode jamais ultrapassar os limites do outro, e como sempre digo aqui, respeito é crucial, fundamental! Nosso carnaval está sempre ligado a liberdade, nesse momento tudo pode, tudo é liberado, e não é bem assim que a banda toca!

“Ah Cláudia, então você quer dizer que devemos sempre nos conter, que não podemos liberar geral?”. Um bom, gostoso e sonoro NÃO! Não foi isso que eu quis dizer, até porque eu acho que a gente tem que liberar geral e jamais se conter, mas que isso seja feito de acordo com o consentimento do outro. Lembra daquele ditadinho: a nossa liberdade termina quando começa a do outro? Pois é, é disso que eu estou falando, o famoso respeito, que é bom e todo mundo gosta! Então vamos nos divertir sem atrapalhar os coleguinhas que também estão ali para curtir. Não gosto de dar regras, mas acho que essas são importantes: não significa não; não forcem a barra, se a pessoa não quer ficar com você isso não significa que ela está fazendo doce ou quer que você insista; e vamos ser assertivos, se você não tá afim seja claro, diga não!

“Eu nem preciso me preocupar com essas coisas porque vou curtir meu carnaval com meu amor!”. Eu não sei vocês, mas admiro demais os casais que sabem curtir o frevo sem tretas, e olha que é difícil! Sim, porque é como falei ali em cima em relação a liberdade, algumas pessoas ultrapassam os limites e arrumam confusão a troco de nada. Se alguém passar e mexer com a pessoa que está com você ou esbarrar em você e quiser tirar satisfação, não caia nessa, saia de perto, isso é uma cilada, Bino! A gente não sabe quem é a outra pessoa, não sabemos qual a intenção dela e mais, não sabemos se aquela pessoa está em condições de conversar numa boa, então não dê onda!

Aproveitem o carnaval, sempre com moderação, não exagerem, quer beber? Beba, mas com moderação! Ninguém precisa experienciar um coma alcóolico ou uma overdose, e claro, usem camisinha, isso é imprescindível! E vamos dar a volta no trio! Na quarta de cinzas, na hora da apuração dos votos, eu quero ouvir: RESPEITO, nota 10! TRETAS, nota 0! PEGAÇÃO, nota 10! ALEGRIA, nota 10! UTILIZAÇÃO DE CAMISINHA, nota 10!

Claudia Santos

Claudia Santos

Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília - UniCEUB, com formação em Terapia Sexual pela Clínica Integrada de Psicologia e Sexologia - CIPS. Se apaixonou perdidamente pela Psicologia Clínica e atende adultos e casais na Equilibrium Clínica de Psicologia. CRP 01-15472.

Mais posts

Deixe uma resposta