MAIS UMA DIETA DA MODA?

Dietas da Moda

A cada dia que passa uma nova dieta fica na moda: Dukan, Atkins, Paleo, sem glúten e sem lactose… Os estudos científicos concluem que para emagrecer o importante mesmo é reduzir as calorias de sua dieta e que os efeitos da maioria das dietas são semelhantes em relação a perda de peso, sendo assim, o mais indicado seria uma dieta que você conseguisse seguir o máximo de tempo possível e que aprendesse com a dieta, se reeducando para sempre. Recentemente uma dieta apelidada de dieta da Nasa entrou nos holofotes. Muitos ficaram curiosos vendo alguns famosos emagrecerem com essa dieta. E todos estão se perguntando: Essa é mais uma dieta da moda? É um milagre? É a melhor dieta dos últimos tempos?

Bom, vamos lá. Essa dieta é uma dieta de origem na Espanha e que possui muito embasamento cientifico, ou seja, foi muito estudada em pacientes obesos e faz parte das dietas chamadas em inglês de very low calorie diet, ou seja, dieta de muito baixas calorias.

Fome é o maior efeito colateral de toda perda de peso após dieta. Isso acontece devido à alterações hormonais e bioquímicas tão potentes e complexas, que manter o peso perdido após uma dieta torna-se uma batalha muito difícil de se vencer! E por isso mais da metade das pessoas que emagrecem acabam ganhando todo o peso perdido. E por isso um dos maiores desejos da humanidade nos dias de hoje seria o de uma dieta que tira a fome, certo?

Estudos estão mostrando que talvez essa dieta exista. E que talvez o mecanismo para uma dieta inibir a fome seja chamado de cetose. Certas dietas, pobres em carboidratos e com poucas calorias, chamadas em inglês de very low calorie diet, ou seja, dieta de muito baixas calorias, que significa menos de 800 calorias por dia, aumentam a queima de gordura livre, levando à produção pelo fígado de alguns ácidos: beta hidroxibutirato e acetoacetato, que podem ser chamados também de corpos cetônicos ou cetonas.

Esse processo ocorre pois o corpo encontra-se com pouco carboidrato vindo da dieta, ou seja, pouca glicose, que é nossa principal fonte de energia,  e como mecanismo de defesa, ele acaba encontrando fontes alternativas de energia como a própria gordura do corpo. Ou seja, ao queimar a gordura do próprio corpo, este entra no processo de cetose.

E é justo essa tal da cetose que melhora a saciedade e reduz o apetite, segundo alguns estudos. Porém isso ainda é um pouco controverso e ainda não se tem certeza absoluta se isso acontece.  O que os estudos são mais certeiros em concluir é que com dietas cetôgenicas, mesmo muito hipocalóricas (600-800 calorias por dia) e resultando em grande perda de peso, a fome não aumenta tanto como nas dieta convencionais. Pois o aumento dessas cetonas está relacionado à regulação dos hormônios da fome, que ficam muito desregulados após uma dieta. Ou seja, dizer que essa dieta inibe a fome, seria muito otimismo! Mas parece que pelo menos ela não deixa acontecer aquela fome rebote que estamos tão acostumados quando fazemos dieta!

Esta dieta é feita em etapas e este método possui 3 fases:  a ativa, a de reeducação e a de manutenção. Veja bem como esta dieta funciona:

São refeições com proteínas de alto valor biológico, cada refeição contém 15 g de proteína, 4 g de carboidratos e 3 g de gordura, com aproximadamente 100 calorias por refeição (que vêm em envelopes e podem virar panquecas, bolinhos, omeletes, sucos e etc). Não se engane, não é uma delícia! Costumo falar para meus pacientes que é super difícil, que a pessoa tem que estar preparada psicologicamente e sem muitas tentações nos próximos meses (festas, casamentos, viagens). E que é remédio em forma de comida ou comida de astronauta! Associado aos envelopes,  estão liberados legumes de baixo índice glicêmico e uma porção de azeite de oliva.

A fase ativa contém no máximo 800 calorias, e é a fase de cetose. É a fase de maior perda de peso! Pacientes chegam a perder 80% do peso que precisam perder nessa fase. É divida em três fases:

1 – 5 a 6 refeições por dia + vegetais.

2- no almoço substitui-se uma refeição por peixe ou carne.

3- substitui-se  duas refeições (almoço e jantar) por peixe ou carne.

Durante essas fases suplementos de potássio, magnésio, vitaminas sódio, cálcio e ômega 3 são dados de acordo com as recomendações nutricionais. Essa fase é mantida até o paciente perder 80% do seu peso, podendo variar de 30-45 dias, ou até mais ou menos, dependendo do paciente.

Na fase de reeducação, a cetose é suspensa e o paciente vai incorporando gradualmente comidas naturais e saudáveis, com um seguimento nutricional por mais de 1 ano para atingir a perda de peso a longo prazo. Ou seja, o paciente começa com uma dieta super restrita, perde bastante peso e aos poucos vai voltando a uma dieta normal, de 1200-1800 calorias, balanceada e saudável. Os estudos comprovam as vantagens disso: perder peso rápido, no início de uma dieta, ao contrário do que muitos pensam, é bom, pois melhora a aderência e animo do paciente a continuar uma dieta (se o paciente perde 5 kg em 10 dias, ele se sente motivado, agora se perder 1-2 kg por mês, logo, logo ele sai da dieta). E estudos em revistas cientificas conceituadíssimas, afirmam, o paciente que perde peso mais rápido, NÃO reganha o peso mais rápido, como muita gente gosta de falar (perde rápido e engorda o dobro depois!).

Uma ótima revista americana comparou uma dieta equilibrada de 1400-1800 calorias – 50% carboidratos, 15-25% de proteínas e 30% de gordura, com essa dieta cetôgenica, em todas as suas etapas e como resultado viu que na dieta cetogênica:

A perda de peso em 15 dias foi o dobro, a perda de peso máxima foi atingida após 8 meses de dieta, e que a diferença de peso entre os dois grupos foi  mais de 10 kg 1 ano após.

No final do estudo 88,9% dos pacientes perderam mais de 10% do peso (comparado com 34,6% da outra dieta), com redução da circunferência abdominal em mais que o triplo. Efeito muito maior do que o visto com uso de medicações para controle de peso!

E o mais impressionante, sem nenhuma redução significativa da massa magra! Isso devido à proteína de alto valor biológico.  Parece mesmo um milagre, né?

Então agora vamos falar das desvantagens citadas nesse mesmo estudo:

Fadiga, dor de cabeça, fraqueza muscular, náuseas e aumento do acido úrico, acontecem mais na dieta cetôgenica. Porém foram transitórias e desapareciam após as primeiras semanas. Ou seja, como falei, não é fácil e tem que ter muita organização e força de vontade para persistir. E saber que a fase de manutenção precisa ser seguida para sempre! Essa dieta tem comprovação cientifica de eficácia e segurança e até algumas outras vantagens do que as dietas convencionais (como não ter tanto o efeito de fome rebote), porém a mudança de hábitos precisa ser para sempre e uma dieta saudável e balanceada deve ser seguida após essa dieta para a manutenção do peso perdido.

Esta dieta só pode ser prescrita por um médico treinado e este deve fazer um seguimento do paciente durante todo o processo. A empresa que disponibiliza essa dieta chama-se Pronokal, para saber mais sobre a dieta acesse o site: http://www.pronokal.com/bra ou o instagram: @pronokalbr

Espero que tenham gostado! Qualquer dúvida, só me enviar um e-mail:

contato@felizesadois.com.br

 

Dra. Paula Pires

Dra. Paula Pires

Sempre quis ser médica e passei a minha vida inteira estudando para realizar esse grande sonho. Estudei tanto, que ler e escrever virou um hábito muito prazeroso. Adoro aprender, ler artigos, saber das últimas novidades da medicina e gosto mais ainda de poder passar isso para as outras pessoas. Com a medicina puder também conhecer vários lugares maravilhosos e ter contato com os melhores serviços do Brasil. Me formei na UnB em Brasília, fiz residência médica de Clínica Geral na Unicamp e de Endocrinologia na USP-SP. Hoje possuo uma Clínica em Sao Paulo, ainda frequento algumas aulas na USP e faço parte do corpo clinico do Hospital Sirio Libanes. Dra. Paula Pires CRM - SP 138809 Instagram: @paulapiresendocrino

Mais posts

Deixe uma resposta