Consentimento, respeito e Christian Grey

Bom diaaa!!

Depois de 2 anos do lançamento do filme, sábado eu resolvi deixar todo o mimimi de lado e assisti o tal 50 tons de cinza. Siiiim, eu disse mimimi, não por conta do longa em si, mas falaram tanto disso na época que eu simplesmente brochei, achei que não valia a pena, e olha que eu adoro a temática!

Eu não vou dar uma de crítica de cinema e falar do filme em si, vou falar de algo que talvez estejamos todos cansados de ouvir, mas eu sempre acho que deve ser falado: RESPEITO! Siiiiiiiiimmmm!!! De novo e sempre, e como dizem na rua: se reclamar eu falo de novo!! Não existe sexo gostosinho e prazeroso sem essa palavrinha, meus caros!

Não sei se vocês assistiram, mas em determinado momento do filme o personagem de Christian Grey entrega a Anastasia Steele um contrato, neste estão todas as regras do jogo e caso assine, Anastasia afirma que concorda com tudo que está escrito, podendo inclusive encerrar a qualquer momento o acordo. Anastasia se submete aos mais profundos desejos de Grey, porém é ela quem diz até onde as fantasias podem ir e Christian respeita, e é nessa parte do filme que vamos nos ater! Galera, isso é consentimento, isso é respeito, isso é diversão, isso é sexo saudável! É assim que deve ser, duas pessoas curtindo o momento com respeito!

“Nossa Cláudia, como você pode falar que isso é sexo saudável? O cara é dominador, bate na garota, machista, controlador, deve ter algum distúrbio, aposto! ”. Gente, não vou entrar nesse mérito, fantasia sexual, desejo, tesão são extremamente individuais, cada um tem o seu, cada um sabe o que excita, cabe ao outro topar ou não, tem gente que gosta de bater e tem gente que gosta de apanhar, se isso for acordado e respeitado, tá tudo certo!

Por outro lado, se durante o sexo acontecer qualquer coisa que você, homem ou mulher, não concorde, fale na hora! Diga para parar e que não está gostando, se nos calamos o outro vai achar que está tudo bem e vai continuar fazendo, lembram do ditado: quem cala consente? Pois é! No sexo ou em qualquer situação da vida não somos obrigados a nada. Se você não gosta de sexo oral, fale; se você gosta de puxão de cabelo, fale; se você não se sente confortável em dar tapas, fale! Tudo é uma questão de comunicação, de ajustar gostos, então não force algo que você não se sente bem em fazer, ok?

Aproveitem a deixa, coloquem em prática as fantasias de vocês, apimentem a relação, escolham brinquedos pra testar, vão ao sexshop, enfim, entre quatro paredes, com consentimento e respeito, vale tudo!

Claudia Santos

Claudia Santos

Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília - UniCEUB, com formação em Terapia Sexual pela Clínica Integrada de Psicologia e Sexologia - CIPS. Se apaixonou perdidamente pela Psicologia Clínica e atende adultos e casais na Equilibrium Clínica de Psicologia. CRP 01-15472.

Mais posts

2 thoughts on “Consentimento, respeito e Christian Grey

  1. Ridiculo o filme, o contrato, essa crítica,…as relaçoes, tanto sexuais quanto emocionais, são construídas ao longo do tempo. Cada casal tem sua dinâmica, quem tenta seguir filme vai se frustar.

  2. Concordo com você Claudia, li os 4 livros, assisti os dois filmes.
    E acredito que a partir do momento que ela consente e manda parar e ele para, tem respeito e um acordo.
    Portanto não cabe dizer que é outra coisa. Como já diziam com um casal “entre quatro paredes vale tudo” vale sim, mas com consentimento de ambos, se houve, valeu. Se não houve daí é crime…

Deixe uma resposta