Entre 4 paredes!

Bom diaaa!!

No post passado falamos um pouquinho de 50 tons de cinza no âmbito do respeito e consentimento, e hoje eu quero falar de algo que utilizamos pra deixar a relação sexual ainda mais excitante, interessante e gostosa!

Fantasiar é muito bom, ajuda no desenvolvimento da criatividade, no repertório sexual e nos deixa mais excitados, por exemplo. A pergunta que não quer calar é: entre 4 paredes, vale tudo? Se não vale tudo, o que vale e o que não vale? Acredito que para responder a essas perguntas é necessário se questionar o quão confortável se sente para realizar essa ou aquela proposta do parceiro ou parceira. Se você estiver ok e a fim, faça, caso contrário não faça.

“Ah Cláudia… Mas as vezes é tudo tão preto no branco, ou é sim ou é não, e se eu estiver na dúvida? Posso ter dúvidas?”. Gente, não tem certo e errado aqui, às vezes o que é pra um não é pra outro, e tudo bem! Respondendo a dúvida da colega, acho que sexo é um mesclado de cores e coisas, às vezes vai ser sim e outras vezes vai ser não, ainda que a proposta seja a mesma. Pode ter dúvidas? Com certeza, não temos uma opinião formada sobre tudo! Então se surgir aquele convite para ser amarrada, pra fazer swing ou colocar aquela fantasia de cowboy e você não sabe se quer, fique calma, respire fundo, conte até 10 e responda para quem te convidou: posso pensar? Pense a respeito, veja se será interessante, se você vai curtir.

“Mas e quando a gente faz só porque ela gosta?”. Tá aí algo para se pensar: Porque tem feito se só o outro gosta? Como você se sente quando coloca em prática? O que te mantem fazendo se você não gosta? Acho interessante se questionar a respeito de práticas que não são prazerosas para o indivíduo, ninguém é obrigado a nada, até brinco com alguns dos meus pacientes dizendo que esse deveria ser um dos mandamentos: não serás obrigado a nada!

“E aquelas pessoas que sentem tesão em animais, gente morta, essas coisas esquisitas? Existe mesmo?”. Sim, existe e eu vou falar sobre isso no próximo post! Enquanto isso, aproveitem pra colocar aquela fantasia sexual em prática, e você parceiro ou parceira, só tope se estiver a fim, se não estiver lembre-se dos mandamentos!

Claudia Santos

Claudia Santos

Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília – UniCEUB, com formação em Terapia Sexual pela Clínica Integrada de Psicologia e Sexologia – CIPS. Se apaixonou perdidamente pela Psicologia Clínica e atende adultos e casais na Equilibrium Clínica de Psicologia. CRP 01-15472.

Mais posts

2 thoughts on “Entre 4 paredes!

  1. Concordo quando vc diz que a mulher não deva fazer nada que não queira. Vivemos em uma sociedade que tudo gira em torno de dar prazer ao homem(talvez devido a escassez). Mas gostaria também de salientar essa preocupação das relações se preocuparem demais com o sexo, o sexo é bom, mas nem sempre é possivel viver intensamente e continuamente a excitação como se fosse inicio de relacionamento. Concordo quando Bauman diz que estamos em uma sociedade hedonista, egoista, com relacionamentos multiplos e ao mesmo tempo superficiais. E é por isso que devemos ter cuidado com os limites, discernimos o que é fantasia e o que é realidade, o que deve realmente experimentar. Sexo, poder e dinheiro é viciante, e, como todo vício, tem efeitos colaterais que não compensa seu uso exagerado ou a preocupação em tê-los.

Deixe uma resposta